Make your own free website on Tripod.com
 
Cabecalho
   
 



Você é o visitante número



Página Inicial

Autor

Apresentação

Carta de Dissociação

Cartas

Fotos

Notícias

Relatos e Experiências Pessoais

Artigos

Livro de visitas

Links p/ outros "sites"

Transcrição em Português do programa BBC PANORAMA

Sofrem as Criancinhas

 

Nota do Tradutor: Este texto foi traduzido a partir da transcrição que está no endereço:
http://www.watchtowerinformationservice.org/panorama.htm

Esta não foi uma tradução das mais fáceis. Os depoimentos algumas vezes parecem confusos, o que pode ser explicado ao vermos que foram feitos sob forte emoção, conforme pode ser constatado do vídeo colocado no endereço citado logo no início dessa transcrição.

Também alguns depoimentos são bastante crus e pode abalar pessoas de maior sensibilidade

______________________________________________________________

 

Em 14 de julho de 2002, o canal BBC 1 levou ao ar o programa Sofrem As Criancinhas. Panorama contou as angustiantes histórias de crianças colocadas em risco pelas políticas bíblicas da Sociedade Torre de Vigia e revelou a evidência quanto à existência de um banco de dados dos membros suspeitos de abuso sexual de crianças, muitos dos quais jamais foram relatados à polícia.

Clique aqui para ver o programa no formato Real Player (http://news.bbc.co.uk/olmedia/cta/progs/panorama/latest.ram)

 

Transcrição

 

Imagens 

Comentários 

Letreiros de abertura

Música  Música 
Tomada de abertura  Há dois anos os anciãos desta Igreja ouviram uma história chocante. Esta jovem mulher contou-lhes que seu pai estava abusando sexualmente dela...os anciãos a chamaram de mentirosa.
Relato de Alison Cousins Relato de Alison Cousins

10.00.23 

Eu lhes disse: 'bem, o que vocês querem dizer? Quer dizer, que atitude tomar se ele estiver fazendo algo errado?' E eles me responderam: 'venha a nós e nós lidaremos com o assunto'. Eu disse a eles: 'bem eu já contei a vocês e vocês me chamaram de mentirosa'. 

Continuação da abertura Os anciãos mandaram-na de volta para casa. Eles não disseram a ela que três anos antes ele confessara a eles que estava abusando sexualmente de sua irmã...
Assembléia em Tulsa: batismo Tulsa, Oklahoma – e uma reunião da Igreja que permite que isso aconteça ... Cerca de seis mil Testemunhas de Jeová estão na cidade para sua Assembléia de Distrito. Panorama também está lá. Buscávamos respostas dos líderes de uma organização que está sob ataque, enfrentando várias acusações de que está protegendo os molestadores, silenciando as vítimas e colocando em risco as crianças.
Relato de Bill Bowen Relato de Bill Bowen

10.01.21 

É um problema mundial que assumiu proporções epidêmicas dentro da organização e que ninguém sabe a menos que seu filho seja molestado. 

Tomada do Título Sofrem as Criancinhas
Tomada principal Stevenston
Do lado de fora com irmã
Stevenston está situada em Arvshire, na costa da Escócia. É uma tranqüila cidade de veraneio, uma pequena cidade e lar de uma atarefada comunidade de Testemunhas de Jeová. Serviço de casa e casa ... 
Anon Sister Estudos bíblicos e assembléias eram o centro da vida familiar desta jovem mulher. Mas agora ela deixou a Igreja que, segundo ela, a traiu e pede para não ser identificada. Ela teve uma rígida educação religiosa – seus pais aderiam ao princípio bíblico de que o pai é o cabeça da família. 
Fala de Anon Sister Fala de Anon Sister

10.02.08

Fazíamos da oração um hábito. Orávamos antes das refeições e orávamos antes de ir para a cama, pedíamos ajuda a Deus e pedíamos-lhe que nos perdoasse por qualquer coisa errada que fizéramos durante o dia. Ele era muito rígido. Eu tive medo dele por muitos anos. Eu realmente me sentia ameaçada por ele.   

Reconstituição/meninas jogando  Ela e sua irmã passavam horas brincando sozinhas. Seu pai as ensinou que as influências externas eram más. Ele proibia que tivessem amigos de fora da Igreja ... Mas, a partir dos 11 anos de idade, ela descobriu que por trás desse rigor religioso se escondia uma dolorosa realidade. Seu pai começou a abusar dela.
Relato de Anon Sister
Meninas brincando
Relato de Anon Sister 

10.02.53

Uma noite, eu estava na minha cama quando meu pai se aproximou e começou a tocar-me e a me acariciar. Eu simplesmente continuei lá desejando que ele fosse embora. 

Relato de Anon Sister Declaração à polícia

Declaração no Escritório da Polícia de Saltcoats. Ao longo dos anos, desde que eu tinha onze anos até meus 15 anos, meu pai fez comigo coisas que ele não deveria ter feito tais como alisar meus seios, tocar-me e tentar fazer sexo comigo.

Relato de Anon Sister  Relato de Anon Sister 

Lembro-me que quando estivemos em Perth, estávamos numa tenda e ele começou a tocar-me e me obrigou a tocá-lo e ele me obrigou a colocar seu pênis em minha boca e outras coisas semelhantes a estas.

Você estava apavorada? 

Petrificada. Houve uma vez que meu pai me disse que se eu contasse alguma vez a alguém sobre isso, ele me partiria ao meio. 

Salão do Reino Durante anos ela se manteve calada, mas um domingo, depois de uma reunião no Salão do Reino, ela pediu para ver os anciãos da Igreja. Ela precisava de sua ajuda.
Relato de Anon Sister Relato de Anon Sister

10.04.07 

Sis: Eu relatei a eles tudo o que aconteceu. 

BP: Eles disseram a você que isso era sério, que você deveria ir à polícia ou que eles mesmos iriam à polícia por você?

Sis: Não, eles não me falaram nada disso. Eles não mencionaram a polícia. 

BP: Eles disseram que iriam lidar com a situação?

Sis: Aha! Depois eles chamaram meu pai e tiveram com ele uma conversa muito, muito longa e então nós voltamos para casa e foi assim que tudo terminou. 

Tomadas de carros/Ian Cousins Quando confrontado, Ian Cousins confessou que estava abusando sexualmente de sua filha. Ele disse que se arrependia e, portanto, os anciãos, o mandaram de volta para casa com sua filha. O abuso continuou. Cousins foi repreendido, ou advertido, publicamente, pelos anciãos, mas a política da Igreja não permite que se informe o porquê, nem mesmo para sua filha mais nova. 
Relato de Anon Sister Relato de Anon Sister

10.05.06 

Foi anunciado da tribuna que Ian Cousins estava sendo repreendido e depois eu fui a um dos anciãos e perguntei: 'Por que ele foi repreendido?' e ele me respondeu que foi por causa de algo errado que ele fez, mas não me disse o que foi.

Mesmo quando sua irmã teve que ser levada para outro lugar, doente por causa dos abusos sofridos, Alison não soube o porquê. Ela sentia falta de sua irmã e estava só... Com a saída de uma das filhas, Ian Cousins voltou-se para a outra. Tudo começou com um inocente beijo de boa noite. 

Relato de Alison Cousins Relato de Alison Cousins

10.05.43 

AC: Eu dei-lhe um beijo, como uma bicada nos lábios, e, então, eu tentei ir embora e ele me puxou e forçou a sua língua através de meus dentes... meus dentes cerrados e... e ele tentou colocar, brigou comigo e disse: 'você acha que pode realmente fazer isso'?

BP: Ele te responsabilizou.

AC: Aha.

Tomadas de passeios na praia Não muito tempo depois, os abusos ficaram piores. Um dia seu pai foi acusado de assediar uma das amigas de Alison. Ela tinha que fazer algo, mas não tinha para onde se voltar a não ser o Salão do Reino. Ela pediu para falar com um dos anciãos.
Relato de Alison Cousins  Relato de Alison Cousins 

10.06.31 

Eu contei a ele o que tinha acontecido e o que meu pai tinha feito a mim e ele me disse que não acreditava no que eu estava dizendo. Disse que eu era mentirosa e que meu pai jamais faria tal coisa e que meu pai era um homem bom.

Praia de Stevenston  Como a sua irmã, ela foi mandada de volta para casa. Seu pai, o homem 'bom' continuou livre para continuar abusando dela. Então ela deu um ultimato aos anciãos. Ou eles fariam algo ou ela iria à polícia. Eles não fizeram nada. 
Relato de Alison Cousins Relato de Alison Cousins

Declaração na delegacia de polícia de Saltcoats: Eu contei à polícia sobre meu pai porque eu sabia que através da Igreja ele tinha contato com outras meninas.

Relato de Wallace Burgess  Relato de Wallace Burgess (Polícia de Strathclyde)

10.17.20

Algumas dessas pessoas deram boas declarações e foram muito, muito positivas em seu apoio a Alison e sua irmã. Outras acharam que não queriam se envolver e deram uma declaração negativa e algumas pessoas simplesmente se recusaram a falar conosco.

BP: Por que? 

WB: Não tenho a mínima idéia do porquê. Eles simplesmente se recusaram a falar com a polícia. 

BP: Eles eram Testemunhas de Jeová?

WB: Acredito que sim.

BP: Mas eles não ajudaram?

WB: Eles não fizeram nenhuma declaração para nós. 

Caminhando na praia  Somente durante a investigação policial a história toda se tornou clara para Alison Cousins. Apenas então ela descobriu que sua irmã também havia sofrido abusos. Somente então ela soube que seu pai confessara aos anciãos, 3 anos antes. Mesmo assim ninguém avisou a ela, sua próxima vítima. 
Relato de Alison Cousins Relato de Alison Cousins

10.08.10 

Ninguém me contou nada. Todos eles basicamente mantiveram em segredo o assunto e não contaram a ninguém o que ocorreu.

Mar + Carta de Proteção de Dados mesclados O que eles fizeram foi manter um registro com o nome do pai dela e sua confissão no banco de dados da Igreja, um registro de pessoas suspeitas e condenadas por pedofilia, que devem ser monitoradas. Solicitamos a Alison Cousins que obtivesse uma cópia desses registros, com base na Lei de Proteção aos Dados ...Ali, preto no branco, estava a prova de que as Testemunhas de Jeová sabiam, há três anos atrás que seu pai era um pedófilo confesso. Mesmo assim, ao invés de monitorá-lo, os anciãos fecharam os olhos ao abuso de suas duas filhas ... Quando ele confessou a Igreja, Cousins recebeu uma admoestação branda. Quando ele confessou na justiça, foi condenado a cinco anos de cadeia.
Relato de Wallace Burgess Relato de Wallace Burgess

10.08.59 

Acredito que fomos os últimos a saber. Elas falaram com várias pessoas antes de irem à polícia e essas pessoas não contaram para ninguém, nem à polícia nem ao serviço social. Temos a obrigação de proteger, mas se não nos acionarem não poderemos proteger. 

Nova York Nova York – a capital mundial dos grandes negócios e um lar apropriado para uma das organizações religiosas mais ricas do mundo. Daqui as Testemunhas de Jeová controlam cerca de seis milhões de membros. Daqui, a Sede Mundial em Brooklyn Heights, se ditam todas as políticas e todas as orientações.
Visita a Betel  Visitantes são bem-vindos e uma mensagem é clara: nesta organização se adere à palavra de Deus. Cada mês, cinqüenta mil Bíblias saem das prensas, prontas para serem vendidas em todo o mundo. Mas aqui, também, é onde são mantidos os registros dos pedófilos suspeitos e declarados que fazem parte de suas fileiras.
Tomada de Bill Bowen  Bill Bowen, um ancião respeitado por vinte anos acabou de renunciar ao cargo... Ele afirma que os homens na liderança estão protegendo a Igreja, não as crianças. 
Relato de Bill Bowen Relato de Bill Bowen

10.10.24 

Eles não querem que as pessoas saibam que eles têm esse problema. E, por acobertá-lo, eles machucam uma pessoa, mas permitindo que venha a público eles machucam a imagem da Igreja.

Sede Mundial  Os anciãos devem relatar os casos de abuso ao departamento legal. Apenas se a lei exige é que devem reportar à polícia. Se a lei não o exige eles podem ser orientados quanto a terem o dever moral de fazê-lo, mas freqüentemente, parece que as coisas param por aí. Parece que não vão além do próprio banco de dados secreto da Igreja. 
Relato de Bill Bowen Relato de Bill Bowen

10.10.52 

Todo detalhe é registrado. Quando aconteceu, onde aconteceu e como aconteceu. 

Relato de Bill Bowen Relato de Bill Bowen

BP: Então você está dizendo que a organização tem o seu próprio registro de ofensores sexuais? 

BB: Isso está absolutamente certo … 

BP: Quer dizer que estão mantendo isso para si mesmos e não o revelam a ninguém mais?

BB: Precisamente! Esses homens permanecem anônimos para qualquer pessoa de fora da organização e mesmo para os de dentro a menos que sejam quem relatou pessoalmente o fato. 

Stevenston – na entrada de uma casa  Então esta foi a política que deixou Ian Cousins, lá em Stevenston, a continuar a abusar de suas filhas? Os anciãos foram embora e se recusaram a falar conosco. Portanto solicitamos esclarecimentos ao homem que foi mandado aqui para arrumar o prédio. 
Entrada de uma casa  Jonathan Briggs na entrada. 

10.11.31 

BP: Olá, Sr. Briggs, como o senhor sabe, nós somos do programa Panorama da BBC. Queremos apenas fazer algumas perguntas sobre o caso Ian Cousins.

JB: Eu sei. É razoável, de fato, considerar os irmãos e irmãs da Congregação que têm que suportar toda esta pressão e, portanto eu vou deixar as coisas exatamente como estão. Isso é tudo o que eu tenho a dizer sobre esse assunto.

BP: O Banco de Dados, Sr. Briggs. Por que deveriam as Testemunhas de Jeová manter um Banco de Dados sobre os homens que confessaram ser pedófilos, mas não informar isso à polícia? O senhor acha este um comportamento razoável, Sr. Briggs?

Briggs no Salão do Reino/Jonathan Briggs fora do tribunal O mais recente nome que deve ser acrescentado à lista, deve ser o de James Barratt. Há três dias, agarrado à sua Bíblia, este ancião de Rugby, foi condenado por assediar indecentemente dois garotos e foi sentenciado a dois anos de prisão. A Igreja foi informada das alegações contra Barratt há cinco anos, mas ele negou as acusações e foi permitido continuar como ancião.
Nova York Portanto, quantos nomes mais constam do banco de dados secreto? Fizemos a pergunta ao Escritório Central em Nova York. Eles se recusaram a nos dizer. 'Focar nos números não quer dizer nada', eles disseram. Depois de toda uma vida na Igreja, Bill Bowen conta uma história diferente. 
Relato de Bill Bowen  Relato de Bill Bowen 

10.12.50 

BP: Quantos nomes você acha que tem aquela lista? 

BB: 23.720. 

BP: Como você sabe disso? 

BB: Fui contactado por fontes de dentro da Igreja. Recebi um número acima de 20.000. Duas fontes diferentes, entretanto, me contataram e me disseram que, na verdade, o número era mais específico e me deram um número de 23.720. Disseram-me que acessaram o banco de dados interno e que o número incluía os molestadores de crianças nos EUA, Canadá e na Europa e este foi o número que me deram. 

Vigília à luz de velas  Mais de vinte mil nomes num Banco de Dados secreto. Esta é a razão porque essas pessoas dizem que a Igreja precisa escutar ...Junto com Bill Bowen, eles estão pedindo que as Testemunhas de Jeová sejam transparentes quanto ao seu registro sobre o abuso de crianças ... Sua campanha, 'Silent Lambs', já escutou relatos de cinco mil vítimas. Esta vigília com velas é para essas vítimas. 
Depoimento de Bill Bowen  Depoimento de Bill Bowen 

…ou é o que eles acabam fazendo, uma vez que é descoberto, seus próprios membros ficarem profundamente perturbados? 

Pessoas segurando velas Heather Berry e sua irmã de criação, Holly Brewer voaram até aqui desde New Hampshire. O homem que abusou delas ficará preso por um mínimo de cinqüenta e seis anos. Ele era o pai de Heather. Agora Heather e Holly estão empenhadas numa nova luta. Elas estão processando as Testemunhas de Jeová.
Depoimento de Heather  Depoimento de Heather 

Não quero contar a minha história, mas escutei demais hoje a palavra vítima e todos nós estamos aqui, de pé. Estamos aqui firmes e orgulhosos, dizendo que isto aconteceu, que não pode acontecer, que somos sobreviventes, que estamos lutando e que não somos vítimas. 

Várias fileiras de velas  Eles são os primeiros desses sobreviventes que levaram sua luta para os tribunais. Eles afirmam que a Igreja não só não fez nada quando eles foram molestados. Ela os colocou, no ostracismo e puniu as suas famílias quando eles chamaram a polícia. 
Relato de Heather/Holly Relato de Heather/Holly

10.14.50 

Estou muito contente de ter vindo. Como falei eu faria tudo novamente, novamente e novamente quantas vezes fossem necessárias para conseguir uma mudança nas políticas e nas coisas que eles constantemente escondem. 

Estou realmente feliz de que a política deles está sendo comentada hoje. A verdadeira política. Não é o caso de apenas alguns poucos anciãos desejarem esconder as coisas ...é uma política mundial!!! 

Nova York  Pedimos à Igreja que nos desse uma entrevista para discutir as acusações de que estão colocando em risco milhares de crianças. Ao invés de nos concederem a entrevista nos ofereceram algumas fitas de vídeo.
Piece to Camera BP Piece to Camera

10.15.27 

E aqui está! De fato, uma caixa cheia de fitas. Resposta das Testemunhas de Jeová. Entendimento progressivo da Pedofilia, Educação através das Publicações e uma marcada Política. Disseram-me que teríamos aqui algumas respostas. 

Vendo as fitas  Naquela noite vimos as fitas em busca daquelas respostas. Em longas cartas, a organização nos disse que o bem-estar das crianças era de importância primária para eles, que eles têm uma política eficiente de proteção. Nós queríamos vê-la! 
Relato de J R Brown Relato de J R Brown

10.16.01 

Ouvimos comentários de que a nossa política pode não ser adequada para atender ao problema do molestamento de crianças. Mas este não é o caso.

Cabeça no vídeo  A política não poderia ser mais simples. Os anciãos devem lidar com todas as alegações de abuso.
Cabeça de uma mulher comentando Relato de uma mulher 

10.16.15 

Acho que é uma política muito boa que os anciãos essencialmente sejam responsáveis quanto a relatar para as autoridades os abusos.

Mas as autoridades de que falam em contatar, não é a polícia – é seu próprio escritório legal.

Cabeça no vídeo  Relato de J.R. Brown 

10.16.31 

O fato quanto ao assunto é que temos uma política bem agressiva quanto a lidar com o molestamento infantil nas congregações e ela é projetada acima de tudo para proteger nossas crianças.

Sociedade Torre de Vigia Então, quão agressiva ela é na prática? Há exatamente um ano atrás, Bill Bowen ligou para o escritório legal em Nova York perguntando como deveria lidar com uma acusação de abuso na congregação. O conselho dado tinha muito pouco que ver com a proteção da vítima. Foi-lhe dito que voltasse ao acusado. 
Telefonema Telefonema

10.17.05 

… Você simplesmente pergunte a ele novamente: 'Você tem alguma coisa a ver com isso? 'Se ele responder 'não', então você vai embora.

BB: Sim.

HQ: Entregue nas mãos de Jeová. Ele resolverá.

BB: Sim.

HQ: Mas não se meta em confusão. 

Velas  Entregue para Jeová – esta, segundo milhares de vítimas, é, nua e crua, a Política de proteção das Crianças das Testemunhas de Jeová.
Tomadas de Sara Poisson  Ninguém conhece melhor essa política do que Sara Poisson. A mãe de Holly Brewer e Heather Berry sabe quanto custou para suas queridas filhas sua lealdade à Igreja. Paul Berry, seu marido, as espancou. Ela suspeitava o pior – que Heather estava sendo molestada sexualmente – e foi aos anciãos. 
Relato de Sara Poisson Relato de Sara Poisson

10.17.52 

SP: Percebi pelo olhar e pelos seus rostos que havia feito uma coisa má, havia falado contra meu marido, o que era uma coisa má. E, portanto, a solução deles foi que eu fosse melhor esposa e mãe e que deveria orar mais. Esta foi a solução deles de como poderia fazê-lo parar de nos espancar. Eu achei que eles estavam certos, que eles tinham que estar certos porque eles sabiam tudo; porque eles eram os representantes de Deus na terra. 

Andando no bosque  Ela não pode convencê-los, mas ela estava convencida de que Paul Berry estava abusando sexualmente de sua filha, Heather. 
Relato de Heather  Relato de Heather 

10.18.32 

HB: quando eu tinha cerca de três anos de idade, comecei a demonstrar um comportamento que nenhuma criança de três anos com seu equilíbrio perfeito poderia mostrar. Eu estava jogando fezes pela janela do segundo andar e estava, bem, eu fui internada na ala psiquiátrica do Hospital Infantil de Boston porque estava na cozinha me esfaqueando no braço com uma chave de fenda. 

Relato de Heather Berry Relato de Heather Berry (N.T. recita um poema) 

He came to me in the blackened night 
Hands outstretched, there was no fight
The masked man slowly became familiar with my shape, 
Gently rubbing his hands on me, every nook, cranny and gape. 
My child, you are so sweet, 
So perfect and ripe,, 
Then I knew nothing but defeat. 

Tradução livre:

Ele veio até mim na noite escura 
Suas mãos estendidas, não houve luta 
Suavemente me acariciando com as mãos, cada canto, abertura e fenda. 
Minha criança, você é tão doce, 
Tão perfeita e suculenta, 
Que eu não conheço nada além da derrota. 

Relato de Heather Berry  HB: Eu tentei não pensar no abuso mais do que o necessário. Quero dizer, há o abuso físico, o verbal e o sexual e quando nenhum deles acontecia isso era o ideal e isso era o que eu tentava focalizar na maior parte do tempo. 

BP: E durante todo esse tempo você freqüentava, cada domingo, o Salão do Reino, indo toda a semana às reuniões? 

HB: Nós saíamos no serviço de casa em casa. 

Reconstituição  Vez após vez, as meninas esperavam do lado de fora enquanto sua mãe implorava ajuda aos anciãos locais. Vez após vez, elas a viam ser mandada de volta para casa para orar mais e ser uma esposa melhor. 
Foto de Holly Brewer Foto de Holly Brewer

10.19.57 

Holly também tinha sua própria história para contar – uma história que ela escondeu de sua mãe, um história que ela agora sabia que os anciãos não queriam ouvir. Sua vontade era contá-la ao policial local, mas depois de anos na Igreja, ela simplesmente não pode.

Relato de Jack Zeller Relato de Jack Zeller

10.20.11 

Holly estava bastante zangada por algumas coisas. Holly, de fato, contou-me que estava muito zangada por algumas coisas em sua casa e, em mais de uma ocasião, disse-me: 'algum dia, Sargento Zeller, conto ao senhor algo que me aconteceu'. Eu sempre dizia a Holly: 'Quando você estiver pronta eu estarei aqui. Você sabe onde me encontrar'. 

Dramatização Sua mãe viu os anciãos mais de uma dúzia de vezes. Mas, impressionantemente, eles nunca orientaram Sara Poisson a buscar ajuda fora da Igreja. 
Relato de Sara Poisson Relato de Sara Poisson

10.22.44 

BP: Você dizia que a vida de suas filhas estava em perigo e, ao mesmo tempo você dizia que possivelmente não podia ir à polícia. Como isso pode ser possível?

SP: Porque Deus não queria isso. Jamais pensei nessa alternativa. E mesmo se tivesse pensado, eu jamais iria. Ele é um homem, ele era um membro batizado do sexo masculino e ele era um Servo Ministerial e eu era uma mulher. 'Estas coisas devem ficar aqui dentro', eu escutei isso muitas e muitas vezes. 'Você precisa orar mais'. Eu posso mostrar-lhe minha Bíblia. Eu ainda a tenho. Ela está toda gasta.

BP: Mas mesmo depois que você contou-lhes que Heather estava sendo molestada sexualmente pelo pai, nada mudou? 

SP: Não, Não. Bem, sim, as coisas mudaram. Elas ficaram muito piores para mim. 

Fotos de Heather, Holly e Sara  No fim, a decisão foi tirada de suas mãos. Na escola foram notadas contusões nas suas filhas. Os assistentes sociais ficaram sabendo. Eles deram a ela um ultimato: 'deixe seu marido ou nós vamos tirar-lhe suas filhas' ... Mas ela sabia que se deixasse seu marido seria considerada como morta para a Igreja. 
Relato de Sara Poisson  Relato de Sara Poisson 

10.21.57 

Nesse momento eu tinha que fazer uma decisão entre Deus e minhas filhas, e eu sabia, bem, naquele tempo eu sabia que se escolhesse minhas filhas não teria mais a bênção de Deus. Mas não me importava mais. Portanto, num único dia perdemos tudo.

Música e cena com Sara  Sara Poisson não tinha vida fora do Salão do Reino. Quando a congregação a expulsou, ela não teve outra escolha senão se mudar. Ela não só perdeu todos os seus amigos. Da noite para o dia ela estava sem moradia, sem dinheiro, lutando para sobreviver e para criar suas filhas. Os amigos que elas tinham tido se afastaram completamente. 

Mas, com a família agora livre da Igreja, Holly podia finalmente contar a verdade à sua mãe. Seu padrasto também tinha abusado dela. Quando ele tentou assediar sua irmã mais jovem, Holly finalmente fez o que os anciãos não fizeram. Ela foi à delegacia de polícia local.

Relato de Jack Zeller  Relato de Jack Zeller 

10.23.07 

Para mim estava claro que era uma encruzilhada. Uma estrada para ser atravessada. Nunca tive qualquer dúvida em minha mente de que Holly poderia fazê-lo. Foi um tremendo esforço da parte dela e foi como uma explosão de ...de coragem em estado bruto, do princípio até o fim. 

Casa de Holly  Tema ao violão

A Holly Brewer que entrou no seu escritório naquele dia estava muito diferente, uma jovem mulher bastante desafiadora.

Relato de Holly Brewer Relato de Holly Brewer

Minha mais antiga lembrança começa aos 3 anos de idade. Minha lembrança mais recente é aos dez anos. Ele me desejava para relações sexuais completas e, com esse objetivo ele trabalhou gradualmente ao longo daqueles anos.

Cenas da ação policial  Foi uma ocasião angustiante. A polícia levou Holly para a casa onde começou o abuso. 
Relato de Holly Brewer + Vídeo da Policia  Relato de Holly Brewer

10.24.33 

Ele tinha um quarto que ele encontrou em nossa casa muito, muito velha e que estava sob o celeiro. Você tinha que se espremer por um buraco para chegar lá e, uma vez lá dentro você estava realmente isolada de toda a casa e de tudo. Era ali que tudo acontecia. 

Vídeo da Polícia Cenas do vídeo da Polícia na ‘Cena do crime’ 

Oficial da Polícia: Ele se ajoelhava a seu lado, próxima a você ou sobre você?

HB: Ele queria que eu sentasse e eu sentava e [ele] queria se deitar sobre mim. 

OP: Ele dizia a você o que ele esperava que você fizesse? 

HB: Depois de algum tempo eu sabia. 

Cenas de vídeo  Ela contou à polícia exatamente o que Berry queria do seu assédio sexual brutal que ela sofreu durante toda a sua infância.
Relato de Holly Brewer Relato de Holly Brewer

10.25.23 

Eu não me via crescendo e chegando aos dezesseis anos. Eu imaginava que mais cedo ou mais tarde ele me mataria e, sabe, eu ficaria livre e essa era a maneira como eu via as coisas.

Vídeo da Polícia  Vídeo da Polícia no local do crime 

HB: É uma loucura! 

OP: Sabemos que é realmente difícil voltar!

HB: Eu sei …  

Relato de Holly Brewer Relato de Holly Brewer

Ele dizia coisas como 'obrigado por me obedecer' e ele me agradecia por obedecê-lo e me lembrava daquela palavra, da palavra 'obediência' ...isso tinha um grande poder sobre mim.

Vídeo da Polícia  Paul Berry estava confiante de que Holly jamais iria aos anciãos. Além disso tudo, as Testemunhas de Jeová têm uma norma clara a respeito do pecado. Eles precisam de duas testemunhas ou uma confissão antes de agirem. À medida que Holly contava sua história, aos olhos da polícia, essa regra, dentro de uma comunidade religiosa fechada, permitiria que o abuso continuasse. 
Relato de Jack Zeller  Relato de Jack Zeller 

10.26.17 

JZ: Não se deve tolerar o abuso sexual de crianças, qualquer que seja o motivo. É um raciocínio criminoso! Eles estavam errados! E até onde eu entendo eles foram criminalmente negligentes. Esta é minha opinião a respeito.

BP: Mesmo que apenas com a palavra da criança? Com uma testemunha? Apenas com a palavra da mãe, sem as duas testemunhas que a Bíblia diz que eles deveriam ter? 

JZ: Bem, infelizmente, a maioria das crianças não tem várias testemunhas observando-as serem estupradas; é o lado infeliz dessa história. 

Passaram-se aproximadamente quatro anos para que o caso fosse levado aos tribunais. Paul Berry confrontou-se com 17 acusações de agressão sexual.

Relato de Sara Poisson  Relato de Sara Poisson 

10.27.01 

Eu estava segurando a mão de Holly, ela tinha vários anéis pontudos e apertava realmente forte a minha mão. O veredicto demorou muito a ser dado pois havia muitas acusações. Quando finalmente ele foi anunciado, minha mão estava cheia de sangue e eu não sentira nada. Era bom demais para acreditarmos! 

Lista de nomes  Mas nem todos acreditavam nelas...Logo depois dele ter sido condenado por um júri, devido a todas as dezessete acusações, duas dúzias de membros do Salão do Reino se retiraram da audiência em que foi dada a sentença. Todos eles pareciam atestar o bom caráter de Paul Berry. 
Relato de Jack Zeller  Relato de Jack Zeller 

10.28.00 

Ele fora declarado culpado e eles ... eles encontraram lugar em seus corações para ficar diante daquelas crianças e dizer: "Nós não acreditamos em nada disso!". O que eles estavam dizendo, é que eles não acreditavam na criança, que não acreditavam na justiça, não acreditavam no Juiz, não acreditavam no júri. Eles não acreditavam em nada além de si mesmos.

Relato de Holly Brewer  Relato de Holly Brewer

Tudo o que eles diziam era: 'ele é um homem trabalhador. Trabalhamos secularmente com ele e, sabe, ele sempre foi pontual e é um bom trabalhador'. Todos diziam isso e uma segunda parte de todos também dizia: 'ele cuidou de nossos filhos centenas de vezes. Eu o deixei várias vezes cuidando de meus filhos e ele era um ótimo trabalhador'. E eu ficava ali, sentada, pensando: 'ele não está sendo julgado por ser um trabalhador negligente'. 

Relato de Jack Zeller  Relato de Jack Zeller 

E eu pude entender quão mal elas devem ter se sentido por não terem tido crédito dos anciãos em sua própria comunidade fechada. Que provação terrível isso deve ter sido para uma criança. Vergonha! Desgraçados! 

Excertos de paisagens  Mas outra acusação séria é levantada contra as Testemunhas de Jeová! Nos seus esforços para encobrir o abuso eles podem até mesmo prejudicar as investigações policiais. Em Birmingham, West Midlands, a polícia foi informada da agressão sexual a um menino por uma Testemunha de Jeová. Eles solicitaram a ajuda dos anciãos locais.
Relato de Steve Colley  Relato de Steve Colley 

10.29.23 

Eles foram muito relutantes em me fornecer qualquer informação; Em cada rodada, a Igreja travou uma verdadeira guerra contra mim. Eles me disseram que, a menos que eu pudesse indicar duas Testemunhas de Jeová que tivessem presenciado o crime, no que lhes dizia respeito, o crime não tinha acontecido.

Tomada da câmara  O menino era Simon Brady. Ele tinha apenas nove anos quando foi molestado por um membro de seu Salão do Reino. Ele pressentia que não podia contar a ninguém.
Relato de Simon Brady  Relato de Simon Brady 

10.29.56 

Fomos ensinados, você sabe, que se você for aos anciãos ou algo assim, que se você quiser que acreditem em você ou se você tem alguma reclamação a respeito de alguém, então tem que ter mais do que um de você. Precisa ter duas pessoas. Basicamente precisa ter mais do que uma testemunha. O que eu podia fazer? Você sabe, não havia mais do que uma testemunha. Como poderia ir até eles? Eles não iriam acreditar em mim! (N.T. - sic) 

Relato de Simon Brady  Relato de Simon Brady 

Declaração de Simon Brady, 18 anos: Me lembro que um dos irmãos da congregação, um homem que eu conhecia pelo nome de Jaswant Patti, começou a demonstrar interesse por mim. Eu devia ter entre 8 ou 9 anos de idade naquela época. 

Fotos de Simon/Patti  Os pais de Brady eram divorciados. Jaswant Patti se ofereceu algumas vezes para ajudar, tirá-lo das mãos de sua mãe. 
Relato de Simon Brady
Reconstituição 
Relato de Simon Brady 

10.30.38 

Ele me levava para passear de carro depois das reuniões, ele me levava da congregação para casa, você sabe, me dava uma carona. 

Relato de Simon Brady  Relato de Simon Brady 

Me lembro que numa ocasião ele me levou para o apartamento de sua irmã enquanto ela estava fora, de férias. Ele disse que iríamos entrar e ver, ver o apartamento da irmã dele e ali ele abusou sexualmente de mim. 

BP: O que fez ele? 

SB: Para ser honesto foi muito ruim, muito ruim, até mesmo para eu pensar agora ...quanto mais para falar agora. Fiz isso uma vez e achei muito difícil falar a respeito! 

Relato de Simon Brady  Declaração de Simon Brady à polícia

Ele me levou de volta para minha casa. Me lembro de ter ido para o banheiro e esfregado com Dettol porque me sentia sujo pelo que aconteceu. 

Foto de Simon  Durante anos ele não disse nada – com medo de que os anciãos não acreditassem nele. Quando ele falou, o que ele desconfiava por instinto aos nove anos, se comprovou. 
Relato de Simon Brady  Relato de Simon Brady 

10.31.42 

Não era pedir muito que eles acreditassem em mim, que eles quisessem acreditar em mim. Eu acho, você sabe, que eles chegaram em minha casa ... que eles não eram de mente aberta. Eu acho, sabe, que eles já tinham tomado a sua decisão antes de chegarem em minha casa. 

Lições de direção  A polícia acreditou nele e encontrou um segundo garoto que sofreu abusos por parte de Patty. Mas o que aconteceu a seguir provocou uma profunda indignação da polícia. Um ancião confrontou o pai da vítima chamando o filho do homem de mentiroso. O pai queixou-se à polícia que advertiu o ancião para ficar fora do caminho das famílias das vítimas. Sua desculpa foi a de que, como ancião, ele tinha todo o direito de investigar o caso por si mesmo. 
Relato de Steve Colley Relato de Steve Colley

10.32.23 

Era seu dever avaliar as evidências antes do caso ir à justiça. Eu o adverti de que se tal comportamento continuasse eu teria que indiciá-lo por perverter o curso da justiça e intimidação das testemunhas. Eu cuidei para que ele tivesse a certeza de que eu falava sério e sinalizei com o fato de que eu estava preparado para proteger as vítimas e tomar medidas drásticas, isto é, prender pessoas se elas me desobedecessem. 

Cenário de Birmingham Em Birmingham, como em New Hampshire, os anciãos apoiaram o acusado. Mesmo depois de Patti ter sido acusado e sentenciado a cinco anos de cadeia, eles não cederam. Na reunião seguinte, no Salão do Reino, os anciãos deixaram claro para a congregação de que lado eles estavam. 
Relato de Simon Brady Relato de Simon Brady

10.33.14 

Foi feito um anúncio dizendo: "como corpo de anciãos", o que queria dizer todo ancião em Rubery, "sabemos, como corpo de anciãos, que, basicamente, este homem é inocente, acreditamos que ele é inocente e Betel nos informou que fará tudo o que estiver a seu alcance para ajudar este homem". 

Relato de Steve Colley Relato de Steve Colley

Achei então que era meu dever falar pessoalmente com o Serviço Jurídico de Betel, em Londres, e mostrar-lhes meu total desagrado pela total falta de colaboração que tive desde o início até o fim deste inquérito.

Millhill  Sob pressão da polícia, os anciãos se desculparam e foram colocados em seu lugar, embora não afastados...

O Escritório de Londres, Betel, se recusou a discutir qualquer caso específico. Eles disseram que isso era porque os anciãos tinham que respeitar a confidencialidade das vítimas. 

Flashes de Paul Gillies 

Chamada telefônica 

Mas as vítimas queriam respostas. Novamente solicitamos uma entrevista com seu porta-voz, Paul Gillies. Quando ele se recusou, telefonamos para ele e lhe avisamos que a conversa estava sendo gravada e fizemos uma pergunta simples: os anciãos são ou não são instruídos quanto a relatar à polícia as alegações de abuso? 
Conversa entre Paul Gillies e BBC Panorama  Conversa ao telefone

10.34.18 

PG: A diretrizes para os anciãos são: 'Se tiver sido trazido à sua atenção qualquer alegação de abuso de crianças, ligue para este escritório.'

BP: Por que ligar para esse escritório? Por que não ligar para a sua delegacia de polícia local? 

PC: Bem, você entende, a primeira coisa é nos certificarmos para a proteção da criança. 

BP: É a proteção da criança ou seria indelicado perguntar-lhe se não é a proteção à Igreja que está em foco aqui? 

PG: É a proteção da criança. Temos uma política de proteção à criança. 

Telefone desligado
Salão do Reino
Foi uma longa conversa. Perguntamos se ele estava preparado para responder às mesmas questões em frente às câmeras. Ele se recusou. 
Assembléia  Portanto, cá estamos de volta à América e de volta a um Congresso das Testemunhas de Jeová em Tulsa. Foi-nos dito que encontraríamos aqui um dos membros do Corpo Governante. Ted Jaracz é um dos homens responsáveis pela Política da Igreja de Proteção das Crianças. Por mais de dois meses ficamos pedindo a eles por uma entrevista. Queríamos respostas a algumas perguntas simples: por que eles mantêm secreto seu banco de dados de suspeitos de pedofilia? Por que não relatavam à polícia todas as alegações de abuso? Por que mandavam as crianças de volta para os braços dos molestadores? Eles se recusaram a falar conosco, mas aqui, pelo menos, tínhamos nossa oportunidade. 
Tomada na entrada de uma porta Tomada na entrada de uma porta

BP: Somos do programa Panorama da BBC. 

BP: Fale-me sobre o banco de dados. Como justifica manter uma lista de pedófilos, homens que, em alguns casos, confessaram ser pedófilos, mas não os entrega às autoridades? Que justificativa existe para esta atitude? 

TJ: Vocês sabem, vocês são da Inglaterra. Vocês têm lei de privacidade. Uma diretiva da União Européia. Vocês a obedecem, não? 

BP: Então, se são feitas alegações de abuso de crianças, então é correto mantê-las em segredo? 

TJ: Eu acho que esta questão já foi satisfatoriamente respondida.

BP: Poderia respondê-la agora? 

TJ: Não vou repetir a resposta. Apenas vou dizer que você pode ver tudo por escrito. Você sabe que a Bíblia diz para não irmos além das coisas que estão escritas. Nós não vamos além das coisa que estão escritas. 

Empurrão + Jaracz indo embora 10.36.25 

E aí está! Nenhuma dúvida! Nenhuma outra idéia! Apenas a crença simples de que Jeová resolverá; uma crença pela qual outros, mais jovens e mais vulneráveis, continuarão pagando um preço.

Relato de Bill Bowen  10.36.44 

Ao invés de admitir o problema, eles permitem que as crianças fiquem do jeito que estão e continuem a ser molestadas e não fazem nada quanto a isso

Créditos  Créditos finais 

Se você deseja comentar o programa desta noite, mande-nos uma mensagem através de nosso site na Internet. Panorama retorna no outono com uma importante investigação sobre a corrupção nas corridas de cavalos que nos levou a sermos banidos de quase todo hipódromo do país. Se você tiver uma história que gostaria que fosse investigada por Panorama, entre em contato conosco por meio de nosso site da Internet. (57) 

Se você quer comentar as questões levantadas neste programa você pode colocar sua mensagem em nosso site da Internet ou juntar-se a nós para uma discussão 'on-line' amanhã, às 15:00 h. 

Ou, dentro de instantes, poderei responder a telefonemas no Radio 5. 

Fim do programa  10.37.33 

Equipe de Produção
Repórter: Betsan Powys 
Produtor: Murdoch Rodgers 
Assistente do Produtor: Shabnam Grewal 
Editor: Mike Robinson


Separador

 Página Inicial   Autor   Apresentação   Carta de Dissociação 

 Cartas   Fotos   Notícias   Relatos e Experiências Pessoais 

 Artigos  Livro de visitas   Links p/ outros "sites"
 
Para me contatar mande uma mensagem para:  paraperp@gmail.com